Congresso | ANUFOOD Brazil | Feira internacional para o setor de alimentos e bebidas
Congresso_2

Congresso ANUFOOD Brazil

O Congresso da ANUFOOD Brazil será realizado em um dos grandes auditórios do evento, e conta com curadoria e expertise da FGV Projetos para entregar um conteúdo relevante, atual e inédito. A FGV Projetos é a unidade de assessoria técnica da Fundação Getulio Vargas, responsável pela aplicação do conhecimento acadêmico gerado e acumulado em suas escolas e institutos, além de e co-organizadora da ANUFOOD Brazil.

Como funciona o Congresso ANUFOOD Brazil?

1º Escolha o conteúdo de interesse, conforme a grade abaixo. O congresso é vendido por dia. Aproveite essa a oportunidade e potencialize o seu conhecimento!

2º Ao realizar a compra do seu ticket, você estará automaticamente credenciado para a feira

3º Retire a sua credencial na entrada do evento

A participação no congresso inclui:

  • Welcome Coffee
  • Tradução simultânea
  • Certificado online
  • Credenciamento automático na ANUFOOD Brazil
  • Conhecimento e Networking

 

Confira a grade abaixo e invista em conhecimento!

12 de março de 2019

13h00 – 15h00PAINEL 1: SEGURANÇA ALIMENTAR
Um dos maiores desafios da humanidade no século XXI é garantir alimentos em quantidade e qualidade adequados para uma população crescente, sobretudo nos países emergentes, com a preservação dos recursos naturais. Uma ampla discussão sobre este tema a partir do cenário global, com avaliação das perspectivas do protagonismo da América Latina e do Brasil no papel da segurança alimentar planetária não pode faltar num evento que mostra a relação oferta/demanda de alimentos nos 4 cantos do mundo
CENÁRIO GLOBAL: José Graziano da Silva, Diretor Geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura – FAO.
O PAPEL DA AMÉRICA LATINA: Manoel Otero, Diretor Geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – IICA.
O PAPEL DO BRASIL: Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Brasil.
15h30 – 17h30PAINEL 2: FACILITAÇÃO DO COMÉRCIO AGRÍCOLA INTERNACIONAL – DESAFIOS REGULATÓRIOS
Alimentar todos os povos do planeta não é apenas um problema de quanto precisa ser produzido em função do potencial de consumo. Entre as muitas questões que afetam o acesso aos alimentos, está o das regras de comércio, que vem sendo duramente trabalhadas desde os tempos do GATT e agora nas Rodadas da OMC, sem os avanços que permitam maior participação dos países em desenvolvimento no mercado global. O protecionismo dos ricos ainda é um gargalo a superar. Como resolver este assunto, especialmente com o aparente neo protecionismo nacionalista atual, é tarefa das mais complexas.
O ESTADO ATUAL E PERSPECTIVAS DAS NEGOCIAÇÕES: representante da Organização Mundial do Comércio – OMC
O PAPEL DOS ESTADOS UNIDOS, EUROPA E CHINA NO COMÉRCIO INTERNACIONAL DE ALIMENTOS: Marcos Jank, Presidente da Aliança Agro Ásia-Brasil.
ACORDOS BILATERAIS: Ministro de Relações Exteriores do Brasil.

13 de março de 2019

10h00 – 12h00PAINEL 3: A INDÚSTRIA DE ALIMENTOS
Mais da metade da produção agrícola de países da América Latina é consumida pela indústria de alimentos. E vem crescendo a preocupação dos consumidores com a qualidade dos produtos processados, que constituem um imperativo da vida moderna. Quais são as tendências do consumo de alimentos industrializados? Como serão as regras determinadas por questões de nutrição e saúde? Como evitar radicalização dessa discussão sem ferir os legítimos interesses dos consumidores e sem destruir uma indústria essencial?
A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA TENDO EM VISTA A INDÚSTRIA DE ALIMENTOS: Sebastião Barbosa, Presidente da Embrapa.
AS TENDÊNCIAS DO CONSUMO DE ALIMENTOS NO MUNDO: Jonathan Brooks, Chefe da Divisão de Agro-Alimentos, Comércio e Mercado da OCDE.
A ADEQUAÇÃO DAS NORMAS FRENTE AS EXIGÊNCIAS DO CONSUMIDOR:
A VISÃO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE: Ministro da Saúde.
A VISÃO DA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS: Wilson Mello, Presidente do Conselho da ABIA
14h30 – 16h30PAINEL 4 – OS GARGALOS DA DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS
Existem vários estudos sérios mostrando que a quantidade de alimentos desperdiçados ou perdidos desde a colheita no campo até o consumo final é uma tragédia terrível: tantos passam fome e tanto é desperdiçado. Mitigar este prejuízo enorme é obrigação dos governos e sociedades contemporâneos. Perde-se na colheita, no transporte, na armazenagem, na embalagem, na distribuição, na industrialização, nas cozinhas domésticas e de restaurantes de todos os tipos. Há grande desconhecimento do tema, e avaliá-lo com clareza é um elemento que pode contribuir com a segurança alimentar sem grandes investimentos.
PERDAS CAUSADOS PELA LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO: Anita Gutierrez, Chefe do Centro de Qualidade em Horticultura da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo – CEAGESP.
DESPERDÍCIOS CAUSADO PELO DESCONHECIMENTO: João Dornelas, Presidente da ABIA
IMPORTÂNCIA DA EMBALAGEM NA DIMINUIÇÃO DO DESPERDÍCIO: Luis Madi, Diretor do Instituto de Tecnologia de Alimentos – ITAL.

*Temas, palestrantes e horários sujeito à alterações.