150 toneladas de alimentos vão para o lixo por dia, segundo Ceagesp | ANUFOOD Brazil | Feira internacional para o setor de alimentos e bebidas
#anufoodbrazil

150 toneladas de alimentos vão para o lixo por dia, segundo Ceagesp


post-thumb


Pragas na lavoura, problemas na colheita, infraestrutura viária deficiente, falta de armazéns ou unidades de armazenagem defasadas, embalagens ineficientes, desinformação do consumidor. São muitos os fatores que levam às perdas e desperdícios de alimentos.  Pelos cálculos da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação) anualmente 1,3 milhões de toneladas de produtos alimentícios são desperdiçados em todo o mundo. No Brasil, de acordo com o IBGE, são descartadas 41 mil toneladas de comidas todos os anos.

 

O problema é mais grave quando se trata de hortifrutis.  Somente no Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) vão para o lixo 150 toneladas de alimentos por dia, o que corresponde a 1,36% de todo o movimento do local. Segundo a chefe do Centro de Qualidade em Horticultura da central atacadista, Anita Gutierrez, uma das palestrantes do Congresso ANUFOOD Brazil – Feira Internacional Exclusiva para o Setor de Alimentos e Bebidas – a deficiência no sistema de logística é o maior problema no setor e quem paga o custo dessas perdas são os produtores e os consumidores. “Temos cinco sistemas de embalagem e transporte que não são eficientes. Com exceção da embalagem, paletização e refrigeração, que garantem perdas menores, as demais geram problemas de qualidade nos produtos”.

 

Para Anita, é preciso falar em prevenção contra as perdas. “Hoje enfrentamos também a fragilidade do produtor na comercialização, diferentes origens em cada época para manter o abastecimento de frutas e verduras, o grande número de produtores, produção especializada e fragmentada e diferentes sistemas convivendo no mesmo espaço”.

 

Somente o Ceagesp compra de 1,5 mil municípios em 24 estados, além de 25 países. Pelos cálculos de Anita, são cerca de 35 mil produtores envolvidos.

 

Para solucionar os problemas de perdas de hortifrutis, Anita apresentou algumas propostas:

 

1 – Criação e implementação de um código comercial para alimentos perecíveis frescos com a definição das responsabilidades e a responsabilização de cada agente da produção, do transporte e da comercialização, até o consumidor, com Justiça rápida.

 

2- Criação de uma estrutura legal para que os produtores e seus primeiros compradores, operando sob sanção governamental, assumam a governança de sua cadeia e invistam no seu futuro e na solução dos seus problemas comuns.

 

3- Criação de um programa de modernização da logística e da conservação dos produtos hortícolas frescos.

 

4- Padronização de embalagens (tamanhos, encaixes,..)

 

5- Transformação dos programas de compra pública em ferramentas de melhoria de competitividade e de inserção no mercado do agricultor familiar.

 

6- Acesso à internet e à telefonia rural.

 

7- Exigência de obediência, com programas prévios de adequação, à legislação de: rotulagem, com identificação do responsável pelo produto, padrões mínimos de qualidade, transporte de alimentos, rastreabilidade e embalagem; proibição, com TAC (Termo de Ajuste de Conduta), de transporte a granel de frutas e hortaliças, a utilização da sacaria sem embalagem secundária.

 

8 – Investimento na competência de quem produz, transporta e comercializa no varejo e no serviço de alimentação.

 

9- Transformação do Ceasa num pólo de transformação e concorrência.

 

Selo “Sobrou, levou”: os esforços para o combate ao desperdício de alimentos em São Paulo

Durante a ANUFOO Brazil , a segunda etapa da ação “Sobrou, Levou: São Paulo no combate ao desperdício” foi apresentada aos visitantes dos setores de bares, restaurantes e estabelecimentos de alimentação fora de casa.

A feira foi uma oportunidade para o pré-lançamento de uma campanha que envolve estabelecimentos da cidade de São Paulo. O selo é um projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). A ação foi pensada para sensibilizar empresários e estimular o consumo consciente de alimentos nesse setor.

“A nossa campanha consiste, além da distribuição do selo que será divulgado nos estabelecimentos, criar embalagens para viagens, com display de mesa, para a gente sensibilizar e conscientizar os proprietários de restaurantes e os clientes”, explica Ana Salles, coordenadora de eventos da Abrasel.

Por lei, quando sobra comida de pedido de clientes, o restauranteé obrigado a jogar fora. “Se o cliente leva para casa, pode doar ou consumir posteriormente. Então esse é um primeiro passo de conscientização para evitar o desperdício”, diz Ana.

O pré-lançamento na feira serviu para apresentar modelos de embalagens para os donos de estabelecimentos.“Nós aproveitamos a presença de vários empresários para apresentar o projeto e os modelos de embalagens, com o objetivo de criar uma conscientização para reduzir o disperdício”, conclui.

 

 

Fotos da ANUFOOD Brazil clique aqui

 

Serviço:

ANUFOOD Brazil

Data: 12 a 14 de março de 2019

Feira:  10h às 19h | Congresso: dia 12 (das 14h às 17h30) | dia 13 (das 10h às 18h)

Local: São Paulo Expo

Enderço: Rodovia dos Imigrantes Km 1,5 – Vila Água Funda, São Paulo – SP

 

Sobre a ANUFOOD Brazil – A ANUFOOD Brazil está sendo organizada pela Koelnmesse do Brasil em parceria com a FGV Projetos, unidade de assessoria técnica da Fundação Getúlio Vargas, dedicando o devido espaço a toda diversidade das atividades relacionadas ao agronegócio e à indústria alimentícia e de bebidas. Dessa forma, compradores nacionais e internacionais terão a oportunidade de se encontrar em um mesmo local para realizar negócios, além de ter contato com as inovações da indústria. O evento acontece de 12 a 14 de março de 2019, no São Paulo Expo, em São Paulo.

Mais informações: anufoodbrazil.com.br

 

Sobre a Koelnmesse – Global Competence in Food and FoodTec: A Koelnmesse é líder internacional na implementação de feiras de alimentos e serviços e produtos relacionados a processamento de alimentos e bebidas. Feiras como a Anuga, a ISM – Feira Internacional de Doces e Biscoitos e a Anuga FoodTec são reconhecidas em todo mundo como líderes absolutas em seus setores. A Koelnmesse também organiza feiras líderes no setor de alimentos e bebidas em outros mercados emergentes no mundo todo, tais como: Brasil, China, Índia, Itália, Japão, Tailândia, Estados Unidos e Emirados Árabes Unidos. Com estas atividades globais, a Koelnmesse oferece aos seus clientes um completo portfólio de eventos qualificados, em diferentes mercados, que garantem uma rede de negócios sustentável e internacional.

 

Mais informações: http://www.global-competence.net/Global-Competence-in-Food-and-FoodTec/


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + seis =